segunda-feira, junho 18, 2007

Dicas para a prova PMI - Tempo

TEMPO

- Definição das Atividades (Planejamento)

Identificar e documentar as atividades especificas a serem realizadas para produzir os subprodutos da WBS.

- Seqüenciamento das Atividades (planejamento)

Identificação dos relacionamentos lógicos entre as atividades; Deve dar suporte a um cronograma realístico e alcançável.


Ferramentas

MDP – diagrama e Precedência - PDM – AON – CPM – Método do caminho critico.

Nós representam atividades e setas mostram as dependências. C-Começo / C-Cedo, F-Fim / T – Tarde

Forward pass – determina as datas Mais Cedo de inicio e fim

Backward pass – determina as datas Mais Tarde de inicio e fim

Conectores: Acabar-p-começar, acabar-p-acabar, começar-p-começar, começar-p-acabar

MDS – Diagramas de setas - PERT

Setas representam as atividades e nós mostram as dependências

- Somente terminar-p-começar, termino inicio atividades fantasmas (Dummy Activies)

- Estimativa de recursos da atividade (Planejamento)

Quais recursos e quantidade de cada recurso que serão utilizadas e quando estarão disponíveis.

- Estimativa de duração das atividades (Planejamento)

Avaliação da quantidade de períodos de trabalho que provavelmente serão necessários para implementar cada atividade.


Delphi – convergência – opiniões anônimas, valores discordantes devem ser esclarecidos, nova consulta até estabilização dos resultados (3 -4 interações)


Pert – Duração (otimista + 4 x MP + pessimista) / 6

Desvio Padrão = σ = (Pessimista – Otimista) /6

1 σ = 69 % , 2 σ = 96 %, 3 σ = 99 %

Verificar à Variância = (desvio padrão)2 = σ2

σT = √ (σ12 + σ22)

Consideração probabilística, utilização de redes de relacionamento lógico com durações baseadas em uma média ponderada de suas probabilidades.

CPM – Método do caminho critico – único ponto (mais provável) – Calcula uma única data “mais cedo” e “mais tarde” para o início e fim de cada atividade, sendo usado para se determinar que atividades devem ser executadas a tempo para que não haja impacto na data final do projeto.

Monte Carlo – Simulação dos múltiplos caminhos (Pessimista)

Gantt – Não da para analisar nada ! extremamente útil para visualização. Gráfico de barras, Gráfico de marcos, gráfico combinados.

Analise de reservas – Buffers.

- Desenvolvimento do cronograma (planejamento)

Determinar as datas de inicio e fim de cada atividade do projeto. Devem ser realísticas para se poder estimar.

Crashing – aumento dos recursos nas atividades, colocar + pessoas para trabalhar, usar nas atividades do caminho crítico do projeto, aumenta o custo

Fast-Tracking – aumento das atividades em paralelo, aumenta o risco, altera desembolso, Geralmente gera retrabalho.

Nivelamento de recursos – Causa aumento de cronograma.

- Desenvolvimento do Cronograma (planejamento)

Analise dos recursos necessários, restrições de prazos, durações e seqüências de atividades para elaborar o cronograma.

- Controle do Cronograma (Monitoramento)

Determinação do estado atual do cronograma. Controle dos fatores que causam mudança. Determinação de o cronograma mudou. Gerenciar mudanças ocorridas.

Relatórios de progresso, Sistema de controle de mudanças do cronograma, medição de desempenho (earned value) – valor agregado, soft de ger. de projetos, analise de variação.

Folga livre – Quanto a atividade pode atrasar sem causar impacto na atividade subseqüente.

Folga Total Quanto a atividade pode atrasar sem causar impacto na conclusão do projeto.

Método da cadeia Critica: Buffer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Busca do Google

Custom Search