segunda-feira, junho 13, 2011

Dicas para a prova PMI - Riscos







Baseado no Pmbok 3ª Edição

 
RISCO    (Planejamento)
É um evento incerto que pode ter um efeito positivo ou negativo
Cada evento de risco esta associado a uma probabilidade de ocorrência
Cada evento de risco acarreta efeito de determinada magnitude ao projeto.

 
Risco = P (%) x I (valor) à Probabilidade X Impacto

 
Qualitativa: I à Índice        Quantitativa: I à R$

 
- Aborda eventos prováveis conhecidos e os eventos desconhecidos.
- Processo relativo à identificação, análise e resposta aos riscos do empreendimento. Inclui a "maximização" dos resultados dos eventos positivos e a "minimização" das conseqüências dos eventos adversos.

 
Reservas monetárias para cobrir os gastos com respostas a eventos de risco.
-Gerencial: Reservas separadas, usadas para unknowns/unknowns. Geralmente são reservas da organização e não do projeto.
- Contingências: dedicadas a cobrir os know/unknowns. Geralmente incluídas nos custos e Schedule do projeto.

 
- Planejamento de Gerência de Riscos (Planejamento)
    Decidir como abordar e planejar os processos de gerência de risco no projeto. Plano de Gerência de Riscos.
    Entradas:
(fatores ambientais da empresa)
    - Quais os eventos que deveremos "securizar"?
    - Quais os eventos que a empresa assume o risco?
    - Quais os eventos que devem ser abordados de forma conservativa (duplicar fornecedores / atividades)?
    - P% x Custo < valor definido. Ex: até X% da marger AA a X-brás aceitará o risco.
    (Ativos de Processos Organizacionais)
    - Abordagem Padrão
    - Categorias de risco
    - Níveis de autoridade
    - Termos e conceitos
    - Funções e Responsabilidades

 
    Ferramentas:
    - Qual o foco ?
    - Influência em outros processos
    - Informações Históricas
    - Outros elementos a considerar
    - Estrutura analítica de riscos – EAR
    - Categorias de riscos
* não esquecer das tarefas "quase-criticas" ou das atividades estratégicas.

 
    Info. Históricas: Arquivos do projeto, base de dados comerciais, banco de dados de riscos, conhecimento do time do projeto.
        Algumas empresas já tem pronto checklists para auxiliar os gerentes. Existem planilhas que pontuam tipo de projeto, características, etc, para dar um nível de risco (as vezes em %)

 
    Elementos a considerar:
    . Confiabilidade da estimativa.
    . Habilidade em medir as conseqüências
    . Efeito da imagem (efeito subjetivo, $$)
    . Possibilidade de mitigar os efeitos (mitigate)
    . Quem perde ?
    . Permanência dos efeitos

 
    Categorias: técnicos ( desempenho), Gerenciais (Coodenação), negócio (Lucro, prejuízo, concorrÊncia), Externos.

 
- Identificação de riscos (Planejamento)
    Identificação dos riscos e como resolver o risco caso já saiba como resolver.
    Determinar quais os riscos poderiam afetar o projeto e documentar suas características.
    àsaida: * Lista de riscos.
        * Lista de possíveis respostas. Quando já se sabe a resposta.

 
    * se você tem uma premissa você tem um risco.
    * premissa não é certeza, então é um risco.

 
    Técnica de coleta de informações: Brainstorming (amplitude), não tolir a idéia de ninguém, não viajar; Delphi (convergência); Entrevistas; Causa-Raiz; Matriz SWOT.

 
    Os riscos pelo ciclo de vida do projeto.

 
    - Iniciação (Conceitual) – Riscos máximos – Porem não há muito em jogo ainda.
    - Planejamento: Ao final desta fase o risco começa a ser reduzido. O valor em jogo começa a aumentar. É cada vez mais caro alterar os rumos do projeto.
    - Execução: Riscos ainda menores. Porém não há mais como alterar o rumo a custos razoáveis.
    - Encerramento: As experiências devem ser coletadas para uso em projetos futuros. Deve-se aprimorar o "banco de riscos".

 
- Análise QuaLitativa dos riscos (Planejamento)
    Priorização.
    Avaliar o impacto e a probabilidade dos riscos identificados. Determinar a prioridade.
    * Cada risco identificado deve ter sua probabilidade e impacto analisados.
    Usar as definições do Plano de Gerenciamento de Riscos.

 
    Resultados: Classificação relativa (Prioridades), Agrupamento por categorias, Riscos de curto-praza, Análises adicionais – quantitativa, Riscos de baixa prioridade.

 
- Análise QuanTitativa dos riscos (Planejamento)
    Objetiva analisar numericamente( $$$ ) a probabilidade de cada risco e a sua conseqüência nos objetivos do projeto.
    Cria-se a reserva de contingência.

 
    Técnicas de modelagem:
    Análise de Sensibilidade: Diagrama de Tornado. (Valor base, alternativa e variáveis)
    VME – Valor monetário esperado, EMV – Expected Monetary Value – Serve para montarmos a reserva financeira para cobrir os riscos. (+ oportunidades / -
Riscos)
VME – valor monetário esperado P x I ($)
    Árvore de decisão: Soma de todos os VME de cada decisão.

 
- Planejamento de Respostas (Planejamento)

    Plano de contingência.
    Determinar ações para ampliar oportunidades e reduzir ameaças. Assegura que os riscos identificados serão adequadamente tratados.

 
Sintomas de riscos: "trigger", indícios : o que indica que o evento de riso está para acontecer, denominado trigger (Gatilho), dispara a ação planejada ou corretiva. Céu nublado à chuva.

 
- Monitoramento e Controle de riscos (Monitoramento)
    É o processo de manter a rastreabilidade dos riscos identificados, monitorar riscos residuais, identificar novos riscos, assegurar a execução dos planos e avaliar a sua efetividade na redução dos riscos.

 
    Ferramentas: Reavaliação de riscos, auditoria de riscos, analise de tendências e variação, medição de desempenho técnico, analise de reservas, reuniões de andamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Busca do Google

Custom Search